Menu

YESHUA VIVE

“Deus permite a perseguição para nos purificar”, revela pastor em um dos países mais fechados do mundo Milhares de pessoas são presas na Eritreia por seguirem a Jesus

26 MAR 2018
26 de Março de 2018

A ONG International Christian Concern (ICC), que defende os direitos humanos e a liberdade religiosa, está denunciando a situação vivida pelos cristãos na Eritreia. Um dos países mais fechados do mundo, já foi chamado de “Coreia do Norte da África”, tendo recebido o título de “país menos livre” dos anos de 2007 a 2016 no ranking da World Press Freedom.

Segundo a missão Portas Abertas, a Eritreia é o quinto país que mais persegue os cristãos no mundo. Isso torna a obtenção de informações e notícias sobre o que acontece lá extremamente difícil.

PUBLICIDADE
A ICC divulgou esta semana uma entrevista com David, um dos muitos pastores clandestinos do país. Ele não revela seu nome completo nem seu rosto por questões de segurança. Segundo o líder religioso a Igreja Cristã está enfrentando “sérios problemas”, com muitos cristãos sendo presos sem motivo claro, dento de um processo de perseguição religiosa ostensiva.
O governo comunista eritreu tem um controle rígido de toda a economia do país, o sistema vem impedindo que todos os que são contrários a ele tenham dificuldade de comprar comida, pagar o aluguel e cobrir as necessidades cotidianas.
O pastor David revela que no final do ano passado o governo da Eritreia prendeu 116 crentes em Massawa. “Eles atacaram nossas casas e as famílias dos que eles sabiam que eram cristãos fiéis. Essas pessoas foram levadas para prisões subterrâneas, onde permanecem até hoje. Temos milhares de cristãos presos na Eritréia, simplesmente por acreditarem em Cristo. Muitos cristãos estão morrendo atrás das grades”, testemunha.
A rede a que David pertence é de igrejas clandestinas, ou subterrâneas, pois atualmente apenas a Igreja Católica, a Igreja Ortodoxa da Eritreia e o Islamismo sunita são reconhecidos pelo governo como “religiões legítimas”.
Para realizarem suas reuniões sem serem incomodados, os líderes religiosos precisam concordar com quatro regras:
1) Você não pode pregar que Jesus é o Senhor.
2) Você deve ser leal ao governo.
3) A Bíblia só pode ser lida dentro de sua casa ou no templo, nunca em público.
4) Qualquer pessoa que busque conversões deve ser denunciada à polícia. A recompensa é de três salários mínimos.
Mesmo assim, David revela que há pessoas aceitando Jesus e a igreja cresce, ainda que lentamente. “Deus às vezes permite a perseguição para nos purificar…. Ele está nos purificando [na Eritreia] para sermos cristãos maduros”, conta. Somente na igreja caseira que ele lidera, mais de 500 pessoas foram batizadas nos últimos dois anos. “A perseguição pela qual passamos nos uniu e nos mostrou que a nossa única arma contra esse mundo é o amor”, encerra.
Voltar


Whatssap: (11) 97070-4605
                 (11) 97633-9135

contador de visitas gratis