Menu

YESHUA VIVE

Jovem muçulmana talibã deixa o terrorismo e se entrega a Jesus após ser curada

23 ABR 2018
23 de Abril de 2018

O testemunho de conversão de uma jovem que cresceu numa das famílias muçulmanas mais influentes no Talibã e responsável pela implementação de um regime fundamentalista no Afeganistão envolve a postura de soldados americanos cristãos e um milagre de cura.

O relato de Sameera – que teve o nome alterado por questões de segurança – foi compartilhado com o resto do mundo pela equipe de missionários da agência Bibles 4 MidEast.

A história de conversão começa em 2001, quando o Talibã foi removido do poder no Afeganistão pelas Forças Armadas dos Estados Unidos em 2001, após os atentados terroristas de 11 de setembro do mesmo ano. Nos cinco anos anteriores, o grupo extremista muçulmano havia perseguido cristãos no país intensamente, matando fiéis e destruindo templos.

Sameera e sua família acreditavam firmemente que o mundo deveria ser governado sob a Sharia, a lei islâmica, e que os cristãos eram os responsáveis pela invasão dos Estados Unidos a seu país, para que o sistema Talibã e o próprio islamismo fossem destruídos.

Como consequência dos bombardeios dos EUA, três dos irmãos de Sameera morreram, enquanto a mais velha ficou desaparecida. Ela e o único irmão restante ainda precisaram lidar com a morte da mãe, semanas depois, em decorrência deuma doença cardíaca.

O último desejo da mãe de Sameera era que o marido fugisse do país com os dois filhos, e logo após sua morte, ele pegou as crianças e tentou escapar. No entanto, terminou capturado por uma patrulha do exército norte-americano.

Semente

Quando foram colocados no caminhão do exército, o pai e as crianças tinham convicção que seriam mortos. No entanto, os soldados constataram que tratava-se apenas de uma família em fuga da guerra, e ficaram comovidos com a situação.

Enquanto viajavam pelo deserto, Sameera lembra de ter ouvido, repetidas vezes, as palavras “Senhor Jesus” da boca dos militares. Embora não compreendesse o inglês, ela se esforçou para guardar essas palavras em sua memória. Mais tarde, ela compreenderia que os soldados, que tinham lágrimas nos olhos quando mencionavam Jesus, eram cristãos e estavam orando.

Quando chegaram a um ponto completamente isolado, os militares disseram que eles fugissem. A barreira da língua exigiu esforço dos soldados para que fossem compreendidos. Um deles tomou a iniciativa de gesticular, apontando para as crianças, numa tentativa de dizer que eles também tinham filhos pequenos em sua terra natal.

A família finalmente percebeu que os homens estavam tentando instruí-los a fugir e, ao saírem, ouviram os soldados novamente mencionando o nome de Jesus. Depois de uma jornada cansativa que durou muitos dias, a família acabou em um reino vizinho, e o pai de Sameera encontrou emprego e trabalhou duro para sustentar a ela e seu irmão.

Ódio

Sameera, que tinha apenas sete anos de idade quando perdeu os irmãos, sentia ódio dos Estados Unidos e dos cristãos, que seriam os “invasores” de seu país. Assim, a origem talibã falou mais alto, e ela prometeu a si mesma que iria se valer do terrorismo para lutar contra eles até a morte.

Diariamente, ela e a família faziam preces a Alá para que tivessem força e coragem para a guerra. Nas conversas em casa, o irmão de Sameera achava que sua melhor opção era se juntar ao Estado Islâmico. Em 2014, ele finalmente conseguiu autonomia e se tornou militante do grupo terrorista.

Em 2017, o pai de Sameera morreu em um trágico acidente, e o choque de perdê-lo, assim como a constatação que não restava mais ninguém de sua família, tornou-se um peso emocional insuportável. Aos 23 anos, se viu sozinha e a consequência disso foi um desequilíbrio psicológico, que a deixou violenta e obrigou uma internação em um hospital psiquiátrico, ficando em um quarto separado dos demais.

Cura

Uma das funcionárias do hospital em que Sameera foi internada era cristã e evangelista da organização missionária Bibles 4 MidEast. Todos os dias, ela demonstrava amor e carinho no cuidado de Sameera, tratando-a como irmã. Aos poucos, a jovem afegã permitiu que a enfermeira ficasse mais tempo com ela e fizesse orações.

A certa altura, a evangelista contou que havia sido muçulmana e que após conhecer o Evangelho, tomou a decisão de deixar o islamismo e se entregar a Jesus. Com a amizade cada vez mais sólida, um dia ela resolveu orar junto com Sameera e agradeceu em “nome de Jesus”.

A palavra em inglês atingiu a jovem afegã em cheio, fazendo-a lembrar dos soldados que oraram por ela e sua família no deserto 16 anos antes, ajudando-os a escapar da guerra. Enquanto ela dormia naquela noite, o Senhor Jesus Cristo apareceu a ela em um sonho.

“Você não está sozinha. Eu estou sempre com você para te consolar”, ela ouviu no sonho, enquanto o homem mostrava suas mãos com cicatrizes de pregos e de feridas em seu corpo. “Eu sofri tudo isso – fui crucificado na cruz do Calvário, morri e ressuscitei dos mortos – por você e pela sua Salvação. Pelo meu sangue tu és lavada e pelas minhas feridas você é curada. Você não é mais uma paciente daqui. Acredite em mim e siga-me”, acrescentou.

Acordando de súbito, Sameera não conteve o entusiasmo e pulou da cama louvando A Jesus e explorando sua primeira tentativa de orar. Na manhã seguinte, ela pediu a presença da enfermeira que havia se tornado sua amiga, e relatou o que havia experienciado.

A evangelista glorificou a Deus, e conduziu Sameera em uma oração de conversão, entregando sua vida a Jesus Cristo e reconhecendo-o como seu Salvador e Senhor. Posteriormente, a enfermeira apresentou a jovem afegã a seu pastor, e reuniões de oração entre os três eram realizadas no hospital.

Pouco tempo depois Sameera recebeu alta hospitalar e, sem ter para onde ir, recebeu ajuda da Bible 4 MidEast para conseguir um lugar para ficar. A partir de então, ela passou a se dedicar ao estudo da Bíblia Sagrada ao lado de outras mulheres que atuam como missionárias na região.

Conforme sua compreensão sobre o Evangelho e o significado da Bíblia Sagrada cresceram, ela decidiu se submeter ao batismo nas águas, e o pastor daquele grupo de fiéis a batizou.

Agora, Sameera tem preocupação sobre como será o reencontro com o irmão, caso ele ainda esteja vivo. Ela tem receio de sua reação quando descobrir que ela abandonou o islamismo para se entregar a Jesus, e por esse motivo, a Bible 4 Mid East tem pedido orações para que o irmão da jovem afegã possa também ser alcançado pelo Evangelho.

Voltar


Whatssap: (11) 96946-8042
                

acesso gratis